@ Filipe Faria 2017

Filipe Faria

EN Filipe was born in Lisbon in 1976. A father, musician, author, programmer, producer, researcher... he graduated in Musical Sciences from UNL (Universidade Nova de Lisboa/Faculty of Social and Human Sciences) in 1998. He completed a postgraduate course in Musicology at UAL (Universidade Autónoma de Lisboa) in 2000, a master's degree in Documentation Science (History Department, Universidade de Évora) in 2002, and a master's degree in Art, Heritage and Restoration Theory (History of Art Institute/Universidade de Lisboa) in 2004. He established and jointly coordinated the UAL undergraduate and postgraduate programme in Musical Sciences in 1999/2001. In 2008/2009, he established and coordinated UAL's Musical Sciences undergraduate programme. In 2002, he established the production and publishing company Arte das Musas, for which he is managing artistic director, developing original projects and national and international partnerships in the areas of art, culture, and communication. In 2003, he established the Sacred Music Festival - Terras sem Sombra - in Baixo Alentejo (Portugal), assuming the role of artistic and production director between 2003-2010, and the Fora do Lugar - International Early Music(s) Festival - in Idanha-a-Nova, for which he has been director since 2012. These original projects receive support from the Portuguese Ministry of Culture and the Directorate-General for the Arts, among other public and private organisations. He was member of the Gulbenkian Choir between 1998-2013, participating in tours of Portugal, Spain, France, Italy, China, the United States, Malta, Holland, Belgium, Germany, England, Japan, and Israel, among others, and was a freelance musician in Portugal's most prestigious early music ensembles during the same period. In 1999, he established the early and contemporary music consort Sete Lágrimas, which he co-directs, with a discography comprising 12 titles and spanning 350 concerts at festivals and cultural centres in Europe and Asia, including Portugal, Bulgaria, Italy, Malta, Spain, China, Sweden, France, Belgium, Norway, Luxembourg, and the Czech Republic. In 2012, he established the Noa Noa project with a discography comprising 4 titles and more than 50 concerts in Portugal, France, Belgium and Japan. In 2015, he published his first book, the graphic poem “Um dia normal” ("A normal day"). He completed the National Conservatory General Course in 1992, the Complementary Violin Course at the National Conservatory of Lisbon/FMAC in 1997, the Ar.Co Photography Course in 2005, the Painting Course at the Sociedade Nacional de Belas Artes between 2001-2005, and the SNBA Open Painting Studio in 2005.  In 2014, he was invited onto the Idanha-a-Nova Candidature Committee in the area of music for the UNESCO Creative Cities Network, which was approved in 2015. Since then Filipe has been representing Idanha-a-Nova as a stakeholder in several international meetings in Sweden, Japan, Poland, etc...

 

PT Filipe nasce, em Lisboa, em 1976. Pai, músico, autor, programador, produtor e investigador licenciou-se em Ciências Musicais pela UNL (Universidade Nova de Lisboa/Faculdade de Ciências Sociais e Humanas) em 1998. Em 2000 termina a Pós-Graduação em Musicologia pela UAL (Universidade Autónoma de Lisboa), em 2002 a Especialização do Mestrado em Ciências Documentais pela UE (Universidade de Évora/Departamento de História) e em 2004 a Pós-Graduação do Mestrado em Arte, Património e Teoria do Restauro pela UL (Universidade de Lisboa/Faculdade de Letras/Instituto de História de Arte). Funda e co-coordena o projecto de licenciatura e pós-graduação em Ciências Musicais - UAL - em 1999/2001 e funda e coordena o projecto de Licenciatura em Educação Musical - ISCE - em 2008/2009. Em 2000 funda a produtora e editora Arte das Musas da qual é gestor e director artístico e de produção e com a qual desenvolve projectos originais e parcerias nacionais e internacionais nas áreas da arte, cultura e comunicação. Funda, em 2003, o Festival Terras sem Sombra de Música Sacra do Baixo Alentejo, do qual foi director artístico e de produção entre 2003-2010, e, em 2012, o Fora do Lugar - Festival Internacional de Músicas Antigas - em Idanha-a-Nova, do qual é director artístico e de produção. Estes projectos originais de sua autoria têm o apoio do Ministério da Cultura e da Direcção-Geral das Artes entre outras entidades, públicas e privadas. Foi elemento efectivo do Coro Gulbenkian entre 1998 e 2013 tendo realizado digressões em Portugal, Espanha, França, Itália, China, Estados Unidos da América, Malta, Holanda, Bélgica, Alemanha, Inglaterra, Japão, Israel, entre outros, e músico freelancer nos mais prestigiados ensembles de música antiga nacionais no mesmo período. Em 1999 funda o consort de música antiga e contemporânea Sete Lágrimas, que co-dirige, com uma discografia de 12 títulos e uma carreira de mais de 350 concertos em Festivais e Centros Culturais da Europa e Ásia como Portugal, Bulgária, Itália, Malta, Espanha, China, Suécia, França, Bélgica, Noruega, Luxemburgo e República Checa. Em 2012 funda o projecto Noa Noa com uma discografia de 4 títulos e mais de 50 concertos em Portugal, França, Bélgica e Japão. Em 2015 edita o seu primeiro livro, o poema gráfico “Um dia normal”. Em 2016 e 2017 cria os projectos multi-disciplinares “Todas as noutes passadas” (com Pedro Castro e Carla Albuquerque) e “Como dormirão meus olhos?” (com Pedro Castro), ambos sob encomenda do Centro Cultural de Belém/Fábrica das Artes em parceria com a Zonzo Compagnie (Bélgica) e com o financiamento do programa Europa Criativa da União Europeia. Completou o Curso Geral do Conservatório Nacional em 1992, o Curso Complementar de Violino do Conservatório Nacional de Lisboa/FMAC em1997, o Curso de Fotografia do Ar.Co – Centro de Arte e Comunicação Visual – com o fotógrafo Roger Meintjes, em 1995, o Curso de Pintura da Sociedade Nacional de Belas Artes entre 2001 e 2005 com os pintores Paiva Raposo e Mário Rita e o Atelier Livre de Pintura da SNBA, com o pintor Jaime Silva, em 2005. Em 2014 é convidado para a Comissão de Candidatura de Idanha-a-Nova à Rede das Cidades Criativas da UNESCO no âmbito da Música aprovada em 2015 por esta entidade. Desde 2015 representa Idanha-a-Nova como stakeholder em Meetings internacionais na Suécia, Japão, Polónia, etc.

 

ARTE DAS MUSAS
Centro Empresarial de Idanha-a-Nova
6060-182 Idanha-a-Nova Portugal
Tel.  +351 210995674
Mail. mail@artedasmusas.com


EQUIPA \ TEAM
Filipe Faria Direcção \ Direction
Rita Santos Produção \ Production

EN Founded in 2000 in Lisbon by Filipe Faria, Arte das Musas creates and implements original projects in the areas of music, sound art, documentary film, visual art, photography and cultural programming. It draws upon the nature of Filipe Faria's creations, both working individually and in collectives. 

In 2012 we chose to look at our projects – and at planet Earth – from the perspective of a rural, sustainable and inspiring world ... “the most beautiful place in the world” – Idanha-a-Nova (UNESCO Creative City of Music). This land has come to serve as our principal source of inspiration and has become the physical and spiritual home of Arte das Musas, our point of departure for facing all challenges.

Examples of our projects include the Fora do Lugar Festival, Terras sem Sombra Festival (2013–2010), Sete Lágrimas ECMC, Noa Noa, Todas as noutes passadas, Como dormirão meus olhos? etc…, touring Portugal, Spain, France, Italy, Sweden, Bulgaria, Malta, China, Belgium, Norway, the Czech Republic, Luxembourg and Japan, and was presented in partner institutions like the Centro Cultural de Belém, Fábrica das Artes\CCB, Philharmonie Luxembourg, Calouste Gulbenkian Foundation, Fundación Juan March, Macao Internacional Music Festival, Stockholm Early Music Festival, Festival Baroque de Sablé, Companhia de Dança de Almada, Opera de Lille, Gent Festival van Vaanderen, Musiekcentrum De Bijloke, Flemish Opera, Bozar Bruxelles, Stavanger Konzerthus, and others. Programmes have included projects and artists such as Nino Laisné, Valter Vinagre, Danças Ocultas, Jordi Savall, Les Fin’Amoureuses, Arianna Savall, Petter Udland Johansen, Marco Beasley, Pedro Caldeira Cabral, Eduardo Salavisa, Galandum Galundaina, Maira Andrade, António Zambujo, Kepa Junkera and Pino De Vittorio.

 

Project supported by:
Ministry of Culture (Portuguese Government)
Directorate General for the Arts.

Partnership:
Municipality of Idanha-a-Nova - UNESCO Creative City of Music

Logotipos FOOTER.png

 

PT Fundada em 2000, por Filipe Faria, em Lisboa, a Arte das Musas cria e desenvolve projectos originais nas áreas da música, arte sonora, filme documental, artes plásticas, fotografia e programação e assume a marca dos trabalhos assinados por Filipe Faria, a solo ou em colectivo. 

Em 2012 escolhemos olhar os nossos projectos - e o planeta - a partir do mundo rural, sustentável e inspirador... do “lugar mais bonito do mundo” - Idanha-a-Nova (UNESCO Creative City of Music). Este território tem-se afirmado como a nossa principal inspiração e é a actual “casa” da Arte das Musas a partir da qual partimos para todos os desafios.

Exemplos dos nossos projectos são o Festival Fora do Lugar, Festival Terras sem Sombra (2013-2010), Sete Lágrimas ECMC, Noa Noa, Todas as noutes passadas, Como dormirão meus olhos? etc… que circulam em Portugal, Espanha, França, Itália, Suécia, Bulgária, Malta, China, Bélgica, Noruega, República Checa, Luxemburgo e Japão em salas e com parceiros como o Centro Cultural de Belém, Fábrica das Artes\CCB, Philharmonie Luxembourg, Fundação Calouste Gulbenkian, Centro Cultural de Belém, Fundación Juan March, Macao Internacional Music Festival, Stockholm Early Music Festival, Festival Baroque de Sablé, Companhia de Dança de Almada, Opera de Lille, Gent Festival van Vaanderen, Musiekcentrum De Bijloke, Flemish Opera, Bozar Bruxelles, Stavanger Konzerthus entre outros e programando projectos e artistas como Nino Laisné, Valter Vinagre, Danças Ocultas, Jordi Savall, Les Fin’Amoureuses, Arianna Savall, Petter Udland Johansen, Marco Beasley, Pedro Caldeira Cabral, Eduardo Salavisa, Galandum Galundaina, Maira Andrade, António Zambujo, Kepa Junkera ou Pino De Vittorio.

 

Estrutura Financiada por:
Ministério da Cultura
Direcção-Geral das Artes

Parceria:
Município de Idanha-a-Nova - UNESCO Cidade Criativa da Música

Logotipos FOOTER.png
 
filipefaria.jpg
 
Nome \ Name *
Nome \ Name