Back to All Events

Musicantes \Espanha \Spain

Concerto Concert

 

SÁBADO SATURDAY 3 DEZ. 2016 21h30
LADOEIRO \SAIPOL

39°50’41.2”N 7°15’22.4”W

 

MUSICANTES ESPANHA SPAIN
Xurxo Ordóñez Flautas Flutes Gaitas Bagpipes Chicontén Chirimía
Milena Fuentes Fídula Fiddle Viola
Jaime del Amo Cítola Cittern Alaúde medieval Medieval lute Guiterna Gittern Viola de roda Hurdy-gurdy Direcção Direction
Wafir Shaikheldin Tambor Drum Pandeiro Tambourine Tar Darbuka Cascavéis bells...

 

Sons Medievais. Um passeio pela música medieval europeia
Medieval Sounds. A journey through European medieval music

 

França /France: 
Douce dam jolie Guillaume de Machaut (séc./c. XIV)
Comment qu’a moy G. de Machaut
Estampidas e danças reais: Estampida 2, 5, 7 e Danse Anón. (séc./C. XIII)

Espanha /Spain:
Sen calar nen tardar
Cantigas de Santa Maria (CSM 380) 
Quen os pecadores CSM 227
A que por muy gran fremosura CSM 384
Avrix mi galanica Tradicional sefardita 

Grã Bretanha \Great Britain:  
Duas danças inglesas
Anón. (séc./C. XIII) 

Itália \Italy:
Lamento de Tristano-Rotta
Anón. (séc./C. XIV)
Saltarello Anón. (séc./C. XIV) 
Ecco la Primavera Francesco Landini (séc/C. XIV) 
Dança amorosa e trotto Anón. (séc./C. XIV)

 

O mundo misterioso da Idade Média, através dos instrumentos musicais da época fielmente reconstruídos segundo a iconografia existente. Músicaa de França, Espanha Grã-
-Bretanha e Itália. Música de outro tempo. Música que nos permitirá sonhar, bailar, imaginar... e, acima de tudo, aprender um pouco mais sobre nós próprios.

The mysterious world of the Middle Ages through the musical instruments of the time, faithfully reconstructed according to the existing iconography. Music from France, Spain, Great Britain and Italy. Music from another time. Music that will allow us to dream, to dance, to imagine… And above all, to learn something about ourselves.

 

NOTAS AO PROGRAMA

No presente recital, o grupo Musicantes oferece-nos uma viagem ao Medievo, percorrendo músicas de diferentes manuscritos e autores, e produzindo um resultado heterogéneo e plural do que foi o esplendor da música na Europa medieval. Guillaume de Machaut (c. 1300 – Abril de 1377) é a mais conhecida figura francesa no âmbito dos trovadores que praticaram a sua arte no Norte de França durante o século XIV. Apesar de se ter destacado no estilo compositivo polifónico conhecido como Ars Nova, compôs também melodias de grande beleza no estilo monódico, como é o caso de “Commen’t qu’a moy, o Douce dame jolie”. Um dos principais manuscritos de música de dança do Medievo europeu é “Le Chansionneer du Roy”, um códice que inclui melodias de diferentes trovadores, entre as quais se encontra uma série de onze danças conhecidas como “Estampidas e Danças Reais»”. Este “apelido” oferece-nos a possibilidade de especular sobre a interpretação destas peças na corte francesa do século XII, convertendo-se num dos mais antigos testemunhos de dança instrumental conservados na Europa. Desta obra interpretar-se-ão uma peça intitulada “Danse” e as Estampidas reais número 2, 5 e 7. O Amor Cortês provençal teve continuidade na Espanha medieval pela mão do rei Afonso X, o Sábio, que na segunda metade do século XIII compilou a sua monumental obra mariana, as “Cantigas de Santa Maria”, em que se canta à mais alta dama, a Virgem Maria, com melodias de claro estilo trovadoresco, como é o caso da nº 380 “Sen calar nen tardar”, cantiga de louvor ou veneração, ou a nº 227, “Quen os pecadores guía” e a nº 384, “A que por muy gran fremosura”», cantiga de milagre. Em 1492, foi decretada a conversão obrigatória dos judeus ao cristianismo ou a sua expulsão do país, a qual resultou na criação de duas correntes culturais (uma centro-europeia e outra no norte de África). Durante cinco séculos, estas comunidades mantiveram viva a sua língua, bem como o seu reportório musical, transmitindo-o oralmente de geração em geração até aos nossos dias. O principal género poético-musical que compõe o reportório sefardita é o romance, sendo o que mais evidencia as suas raízes hispânicas. Dentro do escasso corpus musical dedicado à música instrumental inglesa do Medievo, encontramos também a peça conhecida como “Dança Inglesa”, caracterizada por uma grande vivacidade rítmica, que apresenta sucessivas frases em estilo monódico para terminar com uma secção polifónica a três vozes, que imprime mais carácter ao desenrolar final da dança. Foi recolhida de um manuscrito inglês conservado em Oxford desde o século XIII. Junto com esta, temos outra dança conservada no chamado “Manuscrito de Harley”, Ms 978, onde encontramos uma trilogia de danças inglesas a duas vozes, também do século XVII.
O “Manuscrito de Danças de Jograis” é originário da Itália do século XIV, apesar de se achar actualmente conservado na British Library. Alberga uma série de géneros de dança de índole diversa, como estampidas, saltarelos, peças contrastantes, etc. “El Lamento de Tristano y la Rotta” pertence ao grupo de danças contrastantes em que a uma dança de carácter lento se junta uma outra de tempo vivaz. Nesta peça elabora-se uma primeira dança lenta em que se mostra o lamento do célebre herói das Cruzadas pela morte da sua amada, Isolda, que combina com uma Rota vertiginosa que funciona como contraponto rítmico da primeira peça. “Ecco la primavera” é uma das mais famosas composições no estilo Ars Nova compostas por Francesco Landini, músico cego desde a infância devido a uma doença, e que dedicou toda da sua vida à música e ao seu instrumento predilecto, o órgão, do qual foi titular na catedral de Florença. Esta ballata  apresenta duas vozes e evoca a chegada da Primavera. O concerto finaliza com outro exemplo de dança contrastante, originária da Itália do séc. XIV. Trata-se de “Danza Amorosa & Trotto”, recolhida de um manuscrito conservado no Archivo de Anticossimento, em Florença. 

PROGRAMME NOTES

In this recital, the group Musicantes offers us a journey to the Middle Ages, going through music from different manuscripts and writers that form a heterogeneous and plural summary of the splendour of the music of Medieval Europe. Guillaume de Machaut (c. 1300 – April 1377) is the best-known French figure in the context of the trouvères, who operated in the north of France during the 14th century. Although he was prominent in the polyphonic composing style known as Ars Nova, he also produced melodies of great beauty in the monodic style, such as “Comment qu’a moy, o Douce dame jolie.” One of the principal manuscripts of medieval European dance music is “Le Chansionneer du Roy”. A codex that includes melodies from various troubadours, among which we find a series of eleven dances known as “Estampies & Danses Royales”. This “title” allows us to imagine the performance of these pieces in the French court of the 13th century, becoming one of the oldest preserved testimonies of instrumental dance in Europe. From this will be performed a piece entitled “Danse” and the Royal Estampies numbers 2, 5 and 7. Provençal Courtly Love found continuity in medieval Spain through the hands of king Alfonso X “the Wise”, who in the latter half of the 13th century compiled his monumental Marian work, the Cantigas de Santa María, sung to the most exalted lady, the Virgin Mary, with melodies in a clearly troubadouresque style, such as no. 380, “Sen calar nen tardar, cantiga de loor o alabanza,” or no 227, “A que por muy gran fremosura”, miracle song. 1492 saw the decree forcing conversion to Christianity or expulsion of the Jews from the country, which produced a mass exodus creating two cultural currents (once central European and another in north Africa). For five centuries they kept alive their language as well as their musical repertoire, passed on orally, from generation to generation, until the present day. The main poetic-musical genre that constitutes the Sephardi repertoire is romance, making evident its Hispanic roots. Within the limited musical corpus dedicated to English instrumental music of the Middle Ages, we also find what is known as English Dance, a piece of great rhythmic vitality, which develops different phrases in monodic style to end with a polyphonic section in three voices which imbues the final development of the dance with more character. It was gathered from an English manuscript preserved in Oxford, from around the 13th century. Along with it, another dance preserved in the so-called Harley manuscript, Ms 978, in which we find a trilogy of English dances for two voices, also from the 13th century. The “Manuscript of Jongleurs’ Dances” also has its origins in 14th century Italy, although it is currently being preserved in the British Library. It contains a series of types of dance of different natures, such as estampies, saltarellos, contrasting pieces, etc. “The Lament of Tristan and La Rotta” belongs to the group of contrasting dances in which a slow dance is confronted by another with a livelier tempo. This piece starts with a slow dance, showing the lament of the celebrated hero of the Crusades at the death of his love, Isolda, to connect with a dizzying Rotta who acts as a rhythmic counterpoint to the first piece. “Ecco la primavera” is one of the most famous compositions in the Ars Nova style, composed by the musician Francesco Landini, blind since childhood due to illness, and who devoted his whole life to music and his preferred instrument, the organ, of which he was principal in the cathedral of Florence. This ballatta is presented to us in two voices and evokes the arrival of spring. Concluding the concert is another example of contrasting dance, which appeared in 14th century Italy, in this case the “Danza Amorosa & Trotto”, gathered from a manuscript preserved in the Archivo de Anticossimento, in Florence.

 

BIOGRAFIA

O grupo Musicantes surge da inquietude dos seus membros, que procuram aprofundar o estudo e a interpretação da música Medieval e do começo do Renascimento. Entre os seus concertos, destacam-se os realizados no Festival Clásicos en Verano, Festival de Música Medieval de Alarcos, Ciclo de Música y Patrimonio de Teruel, Jornadas Medievales de Oropesa, Festival de Música Antigua y Sacra de Getafe, Ciclo “Música Nas Ruinas” de Pontevedra, Castillo de los Mendoza de Manzanares el Real e Festival de Plectro de Alcalá de Henares. Os instrumentos utilizados (cítara, alaúde medieval, alaúde árabe, rabel, saltério, chicotén, percussão, flautas, gaitas, chirimía, sanfona e viela), são reproduções de instrumentos originais da época, inspirados na iconografia encontrada em Espanha, como o Pórtico de la Gloria da Catedral de Santiago de Compostela, o painel dos irmãos Serra presente no Museu de Arte da Catalunha, as miniaturas das “Cantigas de Santa Maria”, os frescos da Paróquia de San Esteban em Sos del Rey Católico (Saragoça), etc. Os seus membros contam com uma profunda experiência no campo da música antiga, havendo colaborado com agrupamentos como Grupo Nuba, Eduardo Paniagua, Ana Alcaide, Kaléndula, Judit Cohen, Ángel Carril, Eliseo Parra, Klezmer Sefardí, etc. O seu reportório abarca o período desde o século XIII ao século XV (música monódica da Idade Média, polifonia da Ars Nova e do começo do Renascimento) e é formado por “Cantigas de Santa Maria”, “Llibre Vermell de Monserrat”, danças francesas, inglesas e italianas, estampidas, saltarelos, lamentos, música sefardita e do Al-Andalus, etc.

BIOGRAPHY

Musicantes was born of the curiosity of its members, who sought to deepen their study and performance of medieval and early Renaissance music. Among their concerts, highlights include those performed at the Festival Clásicos en Verano, Festival de Música Medieval de Alarcos, Ciclo de Música y Patrimonio de Teruel, Jornadas Medievales de Oropesa, Festival de Música Antigua y Sacra de Getafe, the “Música Nas Ruinas” cycle in Pontevedra, Castillo de los Mendoza de Manzanares el Real and Festival de Plectro de Alcalá de Henares. The instruments used (cittern, medieval lute, Arabic lute, rabel, psaltery, chicotén (Pyreneen psaltery), percussion, flutes, bagpipes, chirimía (oboe), hurdy-gurdy and fiddle), are reproductions of original instruments of the time, inspired by the iconography existing in Spain, such as the Portico de la Gloria of the Cathedral of Santiago de Compostela, the Hermanos Serra panel in the Museu Nacional d’Art de Catalunya, miniatures of the Cantigas de Santa María, frescoes from the Parish of San Esteban de Sos el Rey Católico (Zaragoza), etc. Its members benefit from a wealth of experience in the field of early music, they have collaborated with groups such as Grupo Nuba, Eduardo Paniagua, Ana Alcaide, Kaléndula, Judit Cohen, Ángel Carril, Eliseo Parra, Klezmer Sefardí, etc.Their repertoire covers the 13th to the 15th centuries (monodic music from the Middle Ages, polyphony of Ars Nova and the start of the Renaissance) and consists of Cantigas de Santa María, Llibre Vermell de Monserrat, French, English and Italian dances, estampies, saltarellos, laments, Sephardi and Andalucian music, etc.

 

 

+ INFO

Mais informações em www.foradolugar.pt Further information at www.foradolugar.pt \ Concertos: Entrada livre sujeita à lotação das salas Por motivos de segurança a porta será encerrada assim que a lotação estiver preenchida. As portas abrem +-30‘ antes do início dos concertos. \ Concerts: Free entry subject to room capacity For safety reasons, the door will be shut as soon as the room is full to capacity. Doors open +-30’ before the concerts start. \ Outras actividades: Gratuitas* de inscrição obrigatória até 96 horas da data da actividade através dos contactos indicados abaixo. (* excepto jantar de 2/12/2016) \ Other activities: Free*. Booking required Booking until 96 hours before the date of the activity using the contact details listed below. (*except dinner on 2/12/2016) \ Website www.foradolugar.pt | Email mail@artedasmusas.com | Facebook www.facebook.com/foradolugar | Tel. 277202900 | Morada/Address Centro Cultural Raiano, Av. Joaquim Morão Lopes Dias | 6060-713 Idanha-a-Nova