Back to All Events

Kapela Maliszów (Polónia/Poland)

Kapela Maliszów

KAPELA MALISZÓW

Polónia/Poland (Męcina Mała)

Sex. / Fri.
23.11.18 > 21:30
Idanha-a-Velha
Antiga Sé

Kacper Malisz, violino/violin
Jan Malisz, basolia
Zuzanna Malisz, voz/voice, baraban

PRINCIPAL/MAIN MÚSICA/MUSIC CONCERTO/CONCERT

Lotação/Capacity 100 pax
Duração/Duration +-60’

PT Entrada livre sujeita à lotação das salas. Por motivos de segurança a porta será encerrada assim que a lotação estiver preenchida. As portas abrem +-30‘ antes do início dos concertos.

EN Free entry subject to room capacity. For safety reasons, the door will be shut as soon as the room is full to capacity. Doors open +-30’ before the concerts start.


Wiejski Dżez*

*Jazz de Aldeia/Village Jazz

PT Numa altura em que a vida da cidade e da aldeia se juntam tão intimamente, é fácil perdermo-nos num mundo inundado pela cultura de massas. À medida que os fazedores de música dos velhos tempos vão desaparecendo, a linha que nos liga ao mundo do passado vai-se tornando cada vez mais ténue. A cultura de massas e o consumismo tornam-se cada vez mais fortes. O que podemos fazer para evitar que acabemos cozinhados nesta sopa civilizacional...? Precisamos de parar por um momento, evocar a memória dos nossos pais e dos nossos avós, escutar a sua música, estudar atentamente como eles viviam, quais eram as suas alegrias e as suas tristezas. Podemos aprender tudo isto ouvindo as velhas canções e melodias, e dançando as velhas danças. Ao mesmo tempo, sabemos que a música está constantemente a mudar e a evoluir, e que é difícil dizer exatamente o que é e não é tradicional. Wiejski Dżez [Village Jazz] levanta esta questão e, através dela, coloca-nos na encruzilhada entre o velho e o novo mundo. Por um lado, temos a música de Jan, bastante enraizada na tradição. Por outro, há as peças fortemente improvisadas de Kacper e a execução intensa e indomável de Zuzanna. Como tal, fica consigo sentir o que é Village Jazz, e determinar se esta música que nos fala do passado, ao mesmo tempo que se dirige ao presente, consegue também tocar a seu coração. Desfrute desta experiência.

EN At a time when city and village life come together so closely, it is easy to lose oneself in a world inundated with mass culture. As the old-time music makers pass away, the thread that connects us to the world of the past is becoming thinner and thinner. Mass culture and consumerism grow in strenght. What can we do to save ourselves from getting stewed up in this civilizational soup...? We need to stop for a while, evoke the memory of our fathers and grandfathers, listen to their music, look closely at how they lived, what were their joys and sorrows. We can learn all that by listening to the old songs and tunes, and by dancing the old dances. At the same time, we know that music is constantly changing and evolving, and that it is hard to say what exactly is or isn’t traditional. Wiejski Dżez [Village Jazz] asks this question, and trough it puts us at the crossroads of the old and the new world. On the one hand, there is Jan’s music, quite rooted in tradition, on the other, there are heaviuly improvised pieces by Kacper, and Zuzanna’s intense and wild play. Therefore, we leave it to you to say what “Village Jazz’ is, and whether this music that tells you about the old days while reaching out to the present, can also reach your hearts. Enjoy the experience.

Kapela Maliszów

Kapela Maliszów

PT Uma banda de família originária de Męcina Mała, uma pequena aldeia de Beskid Niski, composta pelo multi-instrumentista Jan Malisz e os seus filhos, Zuzanna e Kacper. A banda inspira-se na música tradicional da sua região: canções populares e música de dança de diversas regiões da Polónia. A música é tradicionalmente executada ao «estilo arcaico», com violino, basolia (instrumento folclórico semelhante ao violoncelo) e tambor, com um elevado grau de liberdade, alegria e improvisação – não se trata de uma mera reconstrução académica de velhas melodias. Kapela Maliszow compõe também a sua própria música, inspirada na tradição polaca e caracterizada pelo seu estilo distinto – influenciado pelo jazz e pela world music. Curiosamente, o violino e o baraban (tambor) pertencem à família há várias gerações, tendo sido passados a Jan Malisz pelo seu pai Jozef. Jozef ensinou também a Jan as bases de diversos outros instrumentos que havia pela casa. É por isso que a banda chama a esta música «Notas do Pai». Para além de fazerem música, constróem também instrumentos. Na sua oficina, Jan Malisz fabrica violinos, sanfonas, nyckelharpas, gaitas e muitos outros. Para além de ter tocado nos mais importantes festivais de música popular e world music do mundo, tais como no palco BBC3 no WOMAD UK, Rainforest Festival na Malásia, Colours of Ostrava na República Checa, Rudolstadt Festival na Alemanha, etc., a banda foi também selecionada pela WOMEX para atuar na cerimónia de abertura da WOMEX 2017 em Katowice, Polónia. “Village Jazz” foi votado como melhor álbum de música popular polaca de 2017 no concurso «Folk Phonogram» da Rádio Polaca. Kapela Maliszow foi nomeada duas vezes, em 2017 e 2015, pelo Songlines Music Awards para o prémio de «melhor grupo».Ambos os álbuns da banda ocuparam lugares elevados no Transglobal Music Chart: Village Jazz situou-se no 5º lugar do Top 40 de Álbuns de World Music de janeiro de 2018, e Inconceivable Mazurkas situou-se no 15º lugar do Best of The World de 2015.

EN A family band from Męcina Mała, a small village in Beskid Niski, comprising multi-instrumentalist Jan Malisz and his children - Zuzanna and Kacper. The band is inspired by traditional music of their region: folk songs and dance music from many different regions of Poland. The music is traditionally performed “archaic style” on a violin, a basolia (a folk instrument similar to a cello) and a drum, with a great degree of freedom, joy and improvisation – it’s not just an academic reconstruction of old melodies. Kapela Maliszow also compose their own music, inspired by Polish tradition and characterised by their distinctive style - influenced by jazz and world music. Interestingly, the violin and baraban (the drum) have been in the family for generations, handed down to Jan Malisz from his father, Jozef. Jozef also taught Jan the basics of many other instruments that could be found around the house. That’s why the band called this music “Father’s notes”. Apart from making music, the band also make instruments. In his workshop, Jan Malisz builds violins, hurdy-gurdys, nyckelharpas, pipes and many others. Aside from playing at world’s biggest folk and world music festivals such as BBC3 stage at WOMAD UK, Rainforest Festival in Malaysia, Colours of Ostrava in Czech Republic, Rudolstadt Festival in Germany etc. the band was also selected by WOMEX to perform at the opening ceremony of WOMEX 2017 in Katowice, Poland. “Village Jazz” has been voted the best polish folk album of 2017 in “Folk Phonogram” Polish Radio Contest. Kapela Maliszow has been nominated to Songlines Music Awards in “best group” category twice, in 2017 and 2015. Both of the band’s albums were listed high by Transglobal Music Chart: “Village Jazz” scoring 5th place in Top 40 World Music Albums of January 2018, “Inconceivable Mazurkas” scoring 15th in Best of The World in 2015

Kapela Maliszów

Imprensa

PT Wiejski Dżez [Village Jazz] é testemunho do impulso imparável dos Malisz na exploração de tipos de música não necessariamente populares ou bem recebidos nas comunidades rurais. O jazz de aldeia de Męcina Mała é um jazz sonhado que representa uma abordagem muito única e individualizada à harmonia. Os músicos perseguem ousadamente o caminho escolhido no seu álbum Mazurki Niepojęte [Mazurkas Inconcebíveis] Ao escutarmos a sua música, podemos ainda discernir os ritmos e melodias hipnotizantes e inconcebíveis das mazurcas, mas algo de diferente emerge, também, à superfície. Trata-se de uma ânsia por uma nova qualidade, achada, por um lado, em harmonias invulgares, e mais progressivas, por vezes até uma radical improvisação, e por outro, numa mais profunda imersão na música tradicional de aldeia. A nova música dos Malisz continua a ser preenchida pelas virtuosas interpretações de Kacper e pela voz bela e amadurecida de Zuzanna. Mas é também apimentada pelas ideias de Jan, em particular as animadas melodias de acordeão, que poderiam ser classificadas como «nova música de aldeia».

EN „Wiejski Dżez” [Village jazz] is testament to the Malisze’s unrelenting urge to explore the types of music not necessarily popular or well received in the rural communities. Village jazz from Męcina Mała is a dreamed up jazz that represents a very unique and individualized approach to harmony. The musicians boldly follow the path chosen on their album “Mazurki niepojęte” [“Inconceivable mazurkas”]. Listening to their music you can still discern the trance-like and inconceivable rhythms and melodies of mazurkas, but something different also comes to the surface. It’s a longing for a new quality, on the one hand found in unusual harmonies, and more progressive, at times even radical improvisation, on the other – in a deeper immersion in the traditional village music. The new music of the Maliszes continues to be filled with Kacper’s virtuoso interpretations and the beautiful, maturing voice of Zuzanna. But is also peppered with Jan’s ideas, in particular the lively accordion melodies, which could be classed as examples of “new village music”.

Tim Cumming, Songlines, 5/5 estrelas/stars

PT Este é um verdadeiro achado: um notável trio familiar composto por Jan Malisz e pelos os seus dois filhos Zuzanna, de 12 anos, e Kacper, de 16, executando mazurcas e polcas indomavelmente cinéticas, e danças assombradas e cambaleantes que devem povoar os sonhos de Tom Waits. Estas velhas melodias, relembradas e recriadas a partir da sua fonte, na região de Pogórze, nos limites dos Cárpatos – constituem um pungente caldeirão de culturas polaca, ucraniana, judaica e lemko. O trio estreou-se no WOMAD este ano, com a sua música alimentada por Jan, o trabalho de violino impressionante e variado de Kacper, e a voz crua e fresca de Zuzanna, que toca ainda violoncelo, bem como pandeiro e tambores baraban feitos em casa, animando as danças e os exercícios mais livres e improvisatórios com ritmos transversais. A sanfona e o acordeão de Jan acrescentam ao quadro intensos feixes de chiaroscuro musical. Cinco dos 16 temas são tradicionais; há um belo conjunto de polcas, lentas e assimétricas qual sorriso perigoso, ao lado de originais ricamente atmosféricos da autoria de Jan e Kacper. Um pouco ao modo da abordagem de Leveret às danças inglesas, os Kapela Maliszów deixam também uma marca nas tradições extraordinariamente ricas e universais das margens da Europa do Norte – acompanhada por um profundo desejo de renovação. O acondicionamento e o trabalho artístico da capa do álbum são também extremamente originais, por isso, não se limite a fazer download desta obra, pois trata-se de um objeto que irá querer ter em mãos.

EN This is a real find: a remarkable family trio comprising Jan Malisz and his two children, 12-year-old Zuzanna and 16-year-old Kacper, performing wildly kinetic mazurkas, polkas and the kind of haunted, lurching dances Tom Waits must ream of in his sleep. These old tunes, remembered and recomposed from their source in the Pogórze region on the edge of the Carpathians - a pungent eating pot of Polish, Ukrainian, Jewish and Lemko cultures. The trio debuted on WOMAD this year, their music powered by Jan, Kacper’s impressive and varied fiddle work, and Zuzanna’s raw and freshly cut voice. She plays cello as well as frame drum and homemade baraban drums, stoking the dances and the more free-form, improvisatory workouts with cross-cutting rhythms. Jan’s hurdy-gurdy and accordion add strong shafts of musical chiaroscuro to the picture. Five of the 16 tracks are traditional; there’s a fine set of polkas, slow and lopsided like a dangerous smile, alongside richly atmospheric originals from Jan and Kacper. Much like the way Leveret treat English dance tunes, Kapela Maliszów have marked deep tracks into remarkably rich, borderless traditions from the edge of northern Europe - and with a strong urge to make it new. Packaging and artwork are also extremely distinctive, so don’t just download this one - its an object you will want to own.

Tim Cumming, Songlines, 5/5 estrelas/stars

PT A família Malisz é oriunda de Męcina Mała, uma pequena aldeia no sopé dos Cárpatos, perto da fronteira com a Eslováquia. Trata-se de uma banda veloz e furiosa que apresenta indomáveis canções e melodias da tradição polaca, e este é um bem-vindo sucessor do seu álbum de 2015, Mazurki Niepojęte (IMazurkas Inconcebíveis, que alcançou o 112º lugar do Top of the World). O patriarca, Jan, constrói na sua oficina violinos, sanfonas, nyckelharpas, gaitas e outros instrumentos; toca violoncelo, sanfona e acordeão, e os seus filhos, Zuzanna e Kacper, tocam, respetivamente, baraban (tambor) e fiddle - ambos instrumentos que estão com a família Malisz há várias gerações. O domínio furiosamente emocional do violino por parte de Kacper é assombroso ao longo de todo o álbum, e tanto o acordeão de Jan, como a voz de Zuzanna, notáveis, com a voz despojada desta última penetrando diretamente no coração estranho e concentrado do tema de abertura, «Zawiśloczek». Wiejski Dżez (Jazz de Aldeia) é uma música enraizada em tradições em vias de extinção, religando o aqui-e-agora com o indo, indo, foi-se. É o fogo das improvisações do grupo que torna esta música tradicional tão relevante e contemporânea quanto uma conexão de banda larga. Wiejski Dżez é a sua resposta à expansão da cultura de massas sobre as pequenas culturas locais. Ao lançarem-se no passado com a vitalidade do presente, a família Malisz proporciona-nos mais um conjunto rico e poderoso de músicas.

EN The Malisz family hail from Męcina Mała, a small village in the foothills of the Carpathian mountains near the Slovakian border. They’re the 2Fast 2Furious crew of wild Polish traditional songs and tunes, and this is a welcome follow-up to 2015’s Mazurki Niepojęte (Inconceivable Mazurkas, a Top of the World in #112). The patriarch, Jan, builds violins, hurdy-gurdys, nyckelharpas, pipes and more in his workshop, plays cello, hurdy-gurdy and accordion, and his children Zuzanna and Kacper play baraban (drum) and the fiddle respectively - both instruments having been in the Malisz family for generations. Kacper’s furiously emotional mastery of the fiddle is wondrous throughout, and both Jan’s accordion and Zuzanna’s voice excel, the latter’s bare naked voice on the opening track „Zawiśloczek”, penetrating right through the song’s strange, concentrated heart. Wiejski Dżez (Village Jazz) is a music rooted in vanishing traditions, reconnecting the here-and-now with the going, going, gone. It’s the fire of their improvisations that makes this music of tradition as relevant and contemporary as a broadband connection. Wiejski Dżez is their response against the sprawl of mass culture over smaller, local cultures. By reaching into the past with the vitality of the present, the Malisz family deliver another powerful and rich set.