Back to All Events

Saída de campo | Country Outing #1

PROGRAMA EDUCATIVO
EDUCATIONAL PROGRAM

Natureza | Nature

SAÍDA DE CAMPO #1
COUNTRY OUTING #1

Sex. / Fri.
23.11.18 > 10:00

MANUELA CATANA
CMIN/NATURTEJO

Destinatários/Target:
Escolas/Schools

Gratuito + Inscrição Obrigatória
Free + Booking required

Info e incrições 
Info and booking
mail@artedasmusas.com
www.foradolugar.pt

PT Aprender & amar a natureza... em Idanha!

Ao longo dos 365 dias, em cada ano, no concelho de Idanha-a-Nova podemos fazer uma viagem no espaço e no tempo desde os 600 Milhões de anos (Ma) até à atualidade lendo as rochas e as paisagens. A nossa casa comum, o querido Planeta Terra nasceu há 4600 Ma e a Vida surgiu há 3800 Ma. Uma longa história se seguiu e está registada nestes fabulosos livros de pedra, as rochas. 

Aprender com e na Natureza está ao alcance de todos nós, com mais oportunidades, aqui, em pleno Mundo Rural! Podemos contemplá-la, mas só realmente a amamos se a conhecemos e compreendemos. E a curiosidade e vontade de explicar tudo o que nos rodeia, incluindo nós próprios, nasceu connosco, enquanto espécie humana, pois nós somos parte integrante da Natureza. 

A UNESCO, Organização das Nações Unidas Para a Educação, Ciência e Cultura vem reconhecendo o valiosíssimo Património Natural (biodiversidade e geodiversidade) e Histórico-Cultural deste concelho. Em 2006, este Município integrou o território classificado do Geopark Naturtejo – Geoparque Mundial da UNESCO, em 2015 integrou a Rede de Cidades Criativas no âmbito da Música e em 2016 a área classificada como Reserva da Biosfera Transfronteiriça do Tejo/Tajo Internacional.

Os geomonumentos Parque Icnológico de Penha Garcia, Falha do Ponsul, Minas de Segura, Monte-Ilha de Monsanto e Canhões Fluviais do Erges são verdadeiras salas de aulas interdisciplinares ao ar livre e locais-chave para a compreensão da História da Terra e evolução da Vida. Já o Centro de Interpretação da Biodiversidade “Terras de Idanha” em Segura é casa de partida para aventuras, atividades como a observação de aves e desportos de natureza. As aldeias Históricas de Monsanto e Idanha-a-Velha, orgulhosas sentinelas a marcarem o tempo da História da ocupação humana de outrora, condicionada pela geodiversidade, aguardam por nós para desvendarmos as suas memórias e inovações do mundo rural. A música e instrumentos que nos chegaram até hoje transportam sons e influências de tantos que por aqui passaram ao longo de séculos e se inspiraram para as suas letras e melodias na Natureza e seus recursos.

Ano após ano, chegam a Idanha vindos de todo o país e estrangeiro inúmeros alunos, professores e turistas que aprendem a interpretar e desfrutam da Natureza quer em ações promovidas pelo Município, quer pelo Geopark Naturtejo ou empresas de animação turística. As crianças, jovens e famílias residentes são desafiados ao longo do ano a aprenderem mais sobre a Natureza local, na escola, no campo e nos centros de interpretação, mas são também sensibilizados e chamados a dar o seu valioso contributo durante a sua vida.

Novembro e Dezembro, na Península Ibérica, são por excelência meses para semearmos e plantarmos árvores, de forma a elas terem uma maior taxa de sobrevivência. E de preferência plantarmos autóctones! 

Este ano, nas atividades de Natureza as nossas crianças vão “Fora do Lugar” participar no jogo-desafio “Nós ajudamos a Floresta Nativa Portuguesa”. Depois de aprenderem jogando passamos ao mais importante, que são os atos e, por isso juntos vamos transplantar as árvores bebés nativas que semeámos em Novembro passado e que cuidámos durante um ano no nosso berçário de plantas, sejam elas carvalhos, sobreiros e azinheiras. 

Maria Manuela Catana

EN Love and learn about nature... in Idanha! 

Year in and year out, 365 days a year, the municipality of Idanha-a-Nova allows for a journey through space and time, from 600 million years ago to the present day, reading rocks and landscapes. Our shared home, our dearest Planet Earth, was born 4,600 million years ago, while Life first emerged 3,800 million years ago. A long history has since followed and is recorded in these fabulous books of stone: the rocks.

Learning with and in Nature is within the reach of all of us, with more opportunities, here, amidst the Rural World! Although we can always contemplate the Earth, we can only really love it if we know and understand it. Curiosity and the desire to explain everything around us, including ourselves, is innate to us as a human beings, for we are an integral part of Nature.

UNESCO, the United Nations Educational, Scientific and Cultural Organisation, has acknowledged the priceless Natural (biodiversity and geodiversity) and Historical-Cultural Heritage of this municipality. In 2006, it integrated the territory known as the Geopark Naturtejo - UNESCO World Geopark; in 2015, it joined the Network of Creative Cities in the area of Music; in 2016, it integrated the area known as the Tejo/Tajo International Transboundary Biosphere Reserve.

Veritable outdoor interdisciplinary classrooms, the geomonuments of Penha Garcia Ichnological Park, the Ponsul Fault, the Segura Mines, the Isle-Hill of Monsanto and the Erges River Canyons are key locations for understanding the Earth’s history and the evolution of Life. The ‘Land of Idanha’ Biodiversity Interpretation Centre in Segura is a starting point for adventure and activities such as bird watching and nature sports. Proud sentinels marking the history of human occupation once conditioned by geodiversity, the historic villages of Monsanto and Idanha-a-Velha await us in order to unveil memories and innovations of the rural world. The music and instruments passed on to us today carry the sounds and influences of so many who have lived here over the centuries and who found inspiration for their lyrics and melodies in Nature and its resources.

Year after year, many students, teachers and tourists come to Idanha from all over the country and abroad to learn how to interpret and enjoy nature, whether in events promoted by the Municipality, the Naturtejo Geopark or by tourism providers. Children, young people and resident families are challenged throughout the year to learn more about local nature in schools, in the countryside and in interpretation centres, but are also given knowledge and called upon to make a valuable contribution throughout their lifetime.

Offering higher survival rates, November and December are the key months in the Iberian Peninsula for sowing and planting trees. Preferably we plant natives!

This year, in the nature activities of the ‘Fora do Lugar’ Festival, our children will participate in the challenge ‘Help Portugal’s Native Forest’. After learning through play, we move to the most important part: action. Together we transplant the native seedlings we sowed last November and cared for in our plant nursery over the past year, be they common oaks, cork oaks or holm oaks.

Maria Manuela Catana