PRESS      INFO      DISCO

 
Um dia normal

Filipe Faria & Sete Lágrimas

Poema Gráfico de Filipe Faria (texto e ilustrações) com um disco Sete Lágrimas. Livro + CD. 

MU0115 (2015)

 
Península (Diaspora, vol.3)

Sete Lágrimas

Terceiro volume do projecto Diáspora. Para lá de caravelas e de Boa-Esperança a relação de Portugal com o mundo nasce de uma vontade de mudança... Com a expansão portuguesa do século XV inicia-se um período de aculturação e miscigenação que influencia mutuamente as práticas musicais dos países dos Descobrimentos e de Portugal e muda a configuração do nosso “ADN” colectivo para sempre... O projecto Diáspora conta já com três títulos: “Diaspora.pt” (2008), “Terra” (2011) e “Península” (2012) e mergulha nos géneros e formas musicais dos cinco continentes de ontem e de hoje, arriscando novas fórmulas interpretativas de repertórios populares e eruditos do século XVI ao século XX, do vilancico ibérico ao fado, dos vilancicos “negros” do século XVI/XVII ao “chorinho” brasileiro, passando pelas “mornas” africanas e pelas canções tradicionais de Timor, Macau, Índia, Brasil, etc... Uma vertigem experimental pela viagem, caminho, peregrinação, terra, água, saudade e pelo que ficou hoje depois de todos os ontem...

MU0111 (2013)

 
Terra (Diaspora, vol.2)

Sete Lágrimas

Segundo volume do projecto Diáspora. Para lá de caravelas e de Boa-Esperança a relação de Portugal com o mundo nasce de uma vontade de mudança... Com a expansão portuguesa do século XV inicia-se um período de aculturação e miscigenação que influencia mutuamente as práticas musicais dos países dos Descobrimentos e de Portugal e muda a configuração do nosso “ADN” colectivo para sempre... O projecto Diáspora conta já com três títulos: “Diaspora.pt” (2008), “Terra” (2011) e “Península” (2012) e mergulha nos géneros e formas musicais dos cinco continentes de ontem e de hoje, arriscando novas fórmulas interpretativas de repertórios populares e eruditos do século XVI ao século XX, do vilancico ibérico ao fado, dos vilancicos “negros” do século XVI/XVII ao “chorinho” brasileiro, passando pelas “mornas” africanas e pelas canções tradicionais de Timor, Macau, Índia, Brasil, etc... Uma vertigem experimental pela viagem, caminho, peregrinação, terra, água, saudade e pelo que ficou hoje depois de todos os ontem...

MU0110 (2011)

 
Diaspora.pt (Diaspora, vol.1)

Sete Lágrimas

Primeiro volume do projecto Diáspora que explora as relações estéticas, conceptuais e linguísticas da música dos países do cinco continentes visitados pelos Descobrimentos, pela secular diáspora cultural portuguesa e pela lusofonia. Com Rosa Caldeira e Eurico Machado como convidados e António Zambujo como convidado especial.

Para lá de caravelas e de Boa-Esperança a relação de Portugal com o mundo nasce de uma vontade de mudança... Com a expansão portuguesa do século XV inicia-se um período de aculturação e miscigenação que influencia mutuamente as práticas musicais dos países dos Descobrimentos e de Portugal e muda a configuração do nosso “ADN” colectivo para sempre... O projecto Diáspora conta já com três títulos: “Diaspora.pt” (2008), “Terra” (2011) e “Península” (2012) e mergulha nos géneros e formas musicais dos cinco continentes de ontem e de hoje, arriscando novas fórmulas interpretativas de repertórios populares e eruditos do século XVI ao século XX, do vilancico ibérico ao fado, dos vilancicos “negros” do século XVI/XVII ao “chorinho” brasileiro, passando pelas “mornas” africanas e pelas canções tradicionais de Timor, Macau, Índia, Brasil, etc... Uma vertigem experimental pela viagem, caminho, peregrinação, terra, água, saudade e pelo que ficou hoje depois de todos os ontem...

MU0103 (2008)

Missa Mínima

MISSA MÍNIMA
de by Filipe Faria (n. 1976) Sérgio Peixoto (n. 1974)

 

Sete Lágrimas
Filipe Faria voz e tambor \ voice and drum
Sérgio Peixoto voz e crótalos \ voice
Pedro Castro flautas \ recorders

The lands of Idanha, its landscapes and people have always been inspiration for musical creation. In this territory coexists memory and creativity, past, present and future as if they were one. Here you can hear the air while writing the first intervals of a new phrase... and in these sounds you can find this air. Missa Mínima (Minimal Mass) is a work composed in two periods sixteen years away from each other (1999-2015). Before and after something... many things... but in what order?

As terras de Idanha, as suas paisagens e gentes são, desde sempre, inspiração para a criação musical. Neste território coexiste memória e criatividade, passado, presente e futuro como se fossem um só. Aqui é possível ouvir o ar enquanto se escrevem os primeiros intervalos de uma frase nova... e nesses sons fica este ar. A Missa Mínima é uma obra composta em dois períodos a dezasseis anos de distância um do outro (1999-2015). Antes e depois de qualquer coisa, de muita coisa... mas por que ordem?

Apoios
Ministério da Cultura
Direcção-Geral das Artes
Município de Idanha-a-Nova (UNESCO Creative City of Music)

01 Kyrie
02 Stabat Sancta Maria
03 Gloria
04 Popule meus
05 Credo
06 O magnum mysterium
07 Sanctus
08 Venite exultemus Domino
09 Agnus Dei
10 Lamentatio I (Lam 1:2)
11 Lamentatio II (Lam 2:8) 
12 Lamentatio III (Lam 3:24)
13 Lamentatio IV (Lam 4:10) 
14 Lamentatio V (Lam 5:16)

En tus brazos una noche

Sete Lágrimas

Dedicado à colecção integral dos Romances e Canções seiscentistas sobreviventes do compositor português Manuel Machado (Lisboa, c.1590 - Madrid, 1646). “En tus brazos una noche” inspira-se numa obra de grande beleza retórica de enorme valor e em parte desconhecida. 

MU0109 (2012)

 
Cantiga

Sete Lágrimas

Dedicado à colecção integral das Cantigas d’Amigo medievais de Martim Codax (s. XIII). Cantiga é uma obra musical desdobrada em palavras (versos) e som (música). O assunto da sua letra pode ser profano ou religioso. Neste último caso estão as Cantigas de Santa Maria compiladas na corte de Afonso X, rei de Leão e Castela (1252-84); no primeiro, estão cerca de 1680 textos, compostos entre finais do século XII e meados do século XIV, conhecidos através do Cancioneiro da Ajuda, do Cancioneiro da Biblioteca Nacional ou Colocci-Brancuti, e do Cancioneiro da Vaticana. Nestes cancioneiros, estão representadas mais de quinhentas cantigas d’amigo.

MU0113 (2014)

Silêncio

Sete Lágrimas

Um projecto de nova música sacra para a estética e instrumentário da música antiga que contemplou a encomenda e estreia de obras a Ivan Moody (n. 1964), “Genesis”, Andrew Smith (n. 1970), “Lamentations” e João Madureira (n. 1971), “Passio”. Com a soprano Zsuzsi Tóth (Hungria) como convidada.

MU0106 (2009

Vento

Sete Lágrimas

Dedicado à integral da obra “Missa de Pentecostes” de João Madureira (n. 1971) escrita para Sete Lágrimas e estreada em 2010. 

MU0108 (2010)

 
Kleine Musik

SETE LÁGRIMAS

Projecto de música antiga e contemporânea dedicado ao compositor alemão Heinrich Schütz (1585-1672) que contemplou a encomenda e estreia de nove peças ao compositor inglês Ivan Moody (n. 1964) sobre os mesmos textos musicados por Schütz no século XVII. Com a soprano Ana Quintans como convidada.

MU0102 (2008)

 
Pedra Irregular

SETE LÁGRIMAS

Dedicado ao nascimento do Barroco em Portugal e à obra de Almeida (c-1702-1755?), Melgaz (1638-1700), Teixeira (1707-1774) e Seixas (1704-1742). Com a soprano Mónica Monteiro como convidada.

MU0107 (2010)

 
Lachrimae #1

SETE LÁGRIMAS

Dedicado à música antiga europeia. De Schütz (1585-1672) a Martini (1706-1784) e Corelli (1653-1713). Este primeiro CD veio iniciar um projecto de edição com a parceria da Secretaria de Estado da Cultura do Governo de Portugal (antes Ministério da Cultura), com a Direcção-Geral das Artes e com a empresa filantropa portuguesa Delta Cafés com grande repercussão e elogio na crítica da especialidade.

MU0101 (2007)